• Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos.

    Mateus 5:44,45

  • Disse-lhes ele: Por causa da vossa pouca fé; pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele há de passar; e nada vos será impossível

    .

    Mateus 17:20

  • Qual de vós é o homem que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa as noventa e nove no deserto, e não vai após a perdida até que a encontre?

    Lucas 15:4

  • Então ele te dará chuva para a tua semente, com que semeares a terra, e trigo como produto da terra, o qual será pingue e abundante. Naquele dia o teu gado pastará em largos pastos.

    Isaías 30:23

  • As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem;

    João 10:27

prev next

Bem vindos!!

Sejam bem-vindos ao novo site e-cristianismo!! Nosso site foi recentemente invadido, então estamos trabalhando para recuperar o conteúdo. Esperamos terminar esta tarefa em breve.

Verso do dia

Alegadas similaridades entre Cristo e divindades pagãs

Escrito por  The Divine Evidence

Alegadas similaridades entre Cristo e divindades pagãs

Jesus copycat?Nesta seção, vamos investigar as alegadas similaridades entre Jesus e outras deidades que deixam os críticos especulando que aspectos da vida de Jesus foram emprestadas de outras figuras da antiguidade. Depois de examinar os reais textos das religiões em questão, descobre-se que muitas similaridades sequer existem mas foram fabricadas por autores que contam com a ignorância sobre religiões estrangeiras do leitor.

O esboço desta discussão é apresentado a seguir:

1) Introdução

2) Cuidados para o discernimento

3) Krishna

4) Buda

5) Hórus

6) Zoroastro

7) Mitra

8) Attis

9) Dionísio-Baco

10) Alegadas Deidades Crucificadas

11) Conclusão

Introdução

Se você procurar a internet por similaridades entre Jesus e deidades pagãs, você encontrará incontáveis resultados apresentando o mesmo material errôneo que não fornece nenhuma fonte religiosa original para validar seus clamores. Contudo, se você procurar os textos religiosos das figuras em questão você será confrontado com informação honesta que revela que o clamor de que a história de Jesus foi roubada de mitos pagãos é expressamente falso. Para a conveniência do leitor, eu forneço links por toda esta discusão aos textos originais, assim você poderá ver pessoalmente que a "Teoria da Cópia Pagã" foi completamente fabricada.

Declaração cética: mas estas figuras existiram antes da alegada vida de Jesus. Somente a cronologia faz esta discussão inútil.

Resposta: Um fato importante a ter em mente enquanto ler esta seção é a quantidade aproximada de 300 profecias messiânicas detalhadas a respeito da vida, morte e ministério de Jesus no Velho Testamento. As profecias datam de aproximadamente 450 a 1500 anos antes de Seu nascimento. A acusação de cristãos plagiando os registros de outras figuras no primeiro século ignoram o fato que conceitos como nascimento virginal, a ressurreição, e uma relação Pai-Filho precedem muitas das figuras neste artigo.

Também, muitos dos textos religiosos contendo as figuras e as alegadas similaridades clamadas por críticos são posteriores à finalização da Bíblia Cristã. Muitos textos a respeito destas figuras foram adicionados com o passar dos séculos, com aspectos de suas vidas se tornando mais espetaculares e suspeitosamente similares ao Cristianismo. Uma importante diferença entre Jesus e outras figuras neste artigo é a existência de fatos verificáveis sobre a vida de Jesus: nós conhecemos aproximadamente o ano de Seu nascimento, numerosos registros existem que verificam Sua existência, eventos históricos acurados que ocorreram por volta de Seu tempo de vida como mencionados nos textos cristãos, e nós podemos traçar as origens das crenças judaico-cristãs. Muitas outras figuras em questão não possuem ponto de origem documentado e não mencionam datas ou datas aproximadas de quanto os alegados eventos ocorreram.

Não obstante, assim que nós mostrarmos que os clamores de cópia são falsos, o argumento de quem veio primeiro se mostra irrelevante.

Declaração cética: Como a menção de eventos históricos prova a exatidão da Bíblia? Muitos autores de ficção incorporam pessoas reais ou lugares em seus trabalhos para dar ao enredo um sentimento de veracidade. Como a Bíblia seria diferente?

Resposta: Exatidão histórica sozinha não é prova da inerrância Bíblica mas ela atesta sua confiabilidade. Se a Bíblia mencionasse apenas localizações e pessoas espúrias como muitos dos textos pagãos fazem, certamente isto iria diminuir sua autenticidade.

Cuidados para o discernimento

Eu quero que vocês tenham as seguintes coisas em mente na próxima vez que forem apresentados à teoria de cópia pagã. Pergunte a si mesmo as seguintes perguntas baseadas em lógica e verá que muitos clamores instantaneamente desintegram.

TERMINOLOGIA Uma coisa para se alertar ao ser apresentado com os clamores de cópia é o uso de terminologia Judaico-cristã. Houve muitas religiões através da história cujos membros participavam em banhos rituais, mas não era batismo. Grupos políticos e religiosos podem ter celebrado refeições comunitárias mas não era uma Eucaristia. Seguidores podem considerar seu deus um salvador de algum tipo mas eles não eram chamados de Messias. Religiões podem falar de uma vida após a morte mas eles não consistem de lugares conhecidos como Céu e Inferno. Críticos podem usar tais termos para fazer suas conexões parecer mais fortes mas este é um uso errado de terminologia pois estas palavras são usualmente de origens judaico-cristãs.

TEMPO Quando apresentado com evidência comparativa, pergunte a si mesmo:

1) A figura precede as profecias messiânicas do Velho Testamento? (muitos não precedem)

2) O tempo da evidência precede o Cristianismo? (muitos textos religiosos e ajudas são posteriores ao Cristianismo)

3) A figura precede a vida de Jesus? (figuras como Apolônio de Tiana não precedem)

LOCALIZAÇÃO Se críticos clamam que uma figura da América do Sul, por exemplo, (como Quetzalcoatl) influenciou o Cristianismo, é obviamente um falso clamor se nós acreditamos que as Américas ainda não haviam sido descobertas.

SIMBOLISMO Se pergunte que simbolismo existe por trás de tais paralelos. Como muitos grupos políticos e religiosos da antiguidade, uma seita pode ter celebrado uma refeição comunitária mas ela não tinha o mesmo significado que uma Eucaristia Cristã. Membros podem considerar sua deidade um salvador mas eles não consideram a figura um salvador do pecado e da perdição, etc.

FONTES Veja se os clamores se baseiam ou não em textos sagrados reais da religião em questão (muitos raramente baseiam-se). Muitas referências simplesmente citam fontes secundárias de autores do mesmo gênero. Quando eles citam uma fonte religiosa, muitos críticos não especificam o livro, volume ou verso embora eles prontamente citem exatamente onde a "cópia" pode ser encontrada na Bíblia Cristã. Pergunte por referências específicas sobre onde a evidência pode ser encontrada nos reais textos religiosos. Por fim, como poderemos ver através desta discussão, muitos textos religiosos não possuem um cânon oficial como a Bíblia Cristã. Seus textos foram admitidamente alterados e adicionados durante os séculos. Quando críticos citam uma fonte de outro texto, pergunte a si mesmo se esta evidência é encontrada ou não em um texto que seja anterior ao Cristianismo (muitos não são).

Krishna

No Hinduísmo, Krishna1 é crido ser o oitavo avatar de Vishnu2, o segundo aspecto da trindade Hindu. Quase toda correlação entre Krishna e Jesus pode ser traçada a Kersey Graves3, um autor do século 19 que acreditava que o Cristianismo foi criado de mitos pagãos. Apesar de seus livros terem sido provados por eruditos serem falsos e pobremente pesquisados4, muitos ainda referem ignorantemente a seus argumentos não sabendo que eles são facilmente refutados simplesmente comparando a Bíblia aos textos Hindus.

A DEFINIÇÃO DE KRISHNA Apesar de muitos críticos alegarem que Krishna significa Cristo, Krishna5 em Sânscrito na verdade é traduzido por (O) Negro pois se acredita que Krishna possuía uma pele negro-azulada. A palavra Cristo6 é traduzida literalmente por Ungido. Quando céticos, por sua vez, soletram Krishna como Chrishna ou Christna, este é uma espalhafatosa tentativa de espalhar mais desinformação e reforçar suas teorias errôneas.

NASCIMENTO VIRGINAL Um nascimento virginal nunca é atribuído a Krishna já que seus pais deram antes a luz a sete crianças. Além disto, o nascimento virginal não era um conceito novo inventado por cristãos. O livro de Isaías7 (escrito cerca de 700 A.C.) falou de um Messias que nasceria de uma virgem. Esta profecia estava em circulação 700 anos antes de Jesus e pelo menos 100 anos antes de Krishna (Isaías 7:14). Críticos clamam que Krishna nasceu da virgem Maia mas de acordo com os textos hindus, ele era o oitavo filho da Princesa Devaki8 e seu marido Vasudeva9: "Você nasceu dos divinos Devaki e Vasudeva para a proteção de Brahma na terra." Mahabharata Bk 12, XLVIII10

MASSACRE DE CRIANÇAS Críticos clamam que um governante tirano emitiu um decreto para matar todas as crianças do sexo masculino anteriores ao nascimento de Krishna mas a lenda hindu diz que os seis primeiros filhos de Devaki foram assassinados por seu primo, Rei Kamsa11, por causa de uma profecia que previa sua morte pelas mãos de um de seus filhos. Diferente de Herodes que emitiu um decreto para assassinar todas as crianças do sexo masculino abaixo de dois anos, a versão hindu nos diz que Kamsa alvejava apenas os filhos de Devaki. Ele nunca emitiu um decreto para matar indiscriminadamente crianças do sexo masculino: "Assim os seis filhos nasceram de Devaki e Kamsa, também, matou estes seis filhos assim que eles nasceram." Bhagavata, Bk 4, XXII:712

FUGA DOS PAIS Críticos clamam que enquanto os pais de Krishna fugiram para Mathura para evitar Kamsa, os pais de Jesus fugiram para Muturea para evitar Herodes. Mas a Bíblia diz que Maria e José fugiram para o Egito - não para um lugar desconhecido chamado Muturea. Além disto, os textos hindus nos dizem que os pais de Krishna nunca tiveram uma chance de escapar - eles foram aprisionados por Kamsa assim ele poderia matar Krishna assim que nascesse: "Que faltas cometeram [Vasudeva] e sua esposa Devaki? Por que Kamsa matou as seis crianças de Devaki? E por qual razão [Vishnu] se encantou com o o filho de Vasudeva na prisão de Kamsa?" Bhagavata, Bk 4, I:4-513 e Fonte14

PASTORES, SÁBIOS, UMA ESTRELA E UMA MANJEDOURA Nenhuma menção a pastores ou sábios aparece no nascimento de Krishna. Krishna nasceu em uma prisão (não um estábulo como críticos sugerem) onde seus pais deram a luz a ele em segredo. Seria improvável que tais visitantes chegassem somente para alertar Kamsa da presença de Krishna!

PAIS CARPINTEIROS Como o pai terreno de Jesus, se dizia também que o pai de Krishna era carpinteiro. Mas em nenhum lugar dos textos hindus se diz que Vasudeva era um carpinteiro. De fato, nós somos informados que ele era um nobre nas cortes de Mathura15 já que ele era casado com a Princesa Devaki. Quando Krishna fugiu da ira de Kamsa com seus pais adotivos, somos informados que seu pai adotivo Nanda16 era um vaqueiro: "Você é o mais amado de Nanda, o vaqueiro" Bhagavata, Bk 8, I, pg 74317

A CRUCIFICAÇÃO Apesar de críticos clamarem que Krishna foi crucificado, isto não é mencionado em lugar algum nos textos hindus. Pelo contrário, somos informados exatamente como ele morre: Krishna está meditando na floresta quando ele é acidentalmente atingido nos pés por uma flecha de um caçador. Céticos realmente tentam interpretar isto forçadamente clamando que a flecha o empalou a uma árvore, assim o crucificando. Eles também apontam a similaridade entre sua ferida ser no pé e nas feridas mãos e pés de Jesus. Contudo, se eu estava cravando minhas iniciais em uma árvore e acidentalmente empalar meu punho, seria um absurdo considerar isto uma crucificação. Esta história tem mais relação com a mitologia de Aquiles do que outra coisa: "Um forte caçador de nome Jara então chegou ali, desejoso de um gamo. O caçador, confundindo [Krishna], que estava estendido na terra em alta Yoga, com um gamo, o feriu no calcanhar com com uma flecha e rapidamente veio ao local para capturar sua presa." Mahabharata, Book 16, 418

A RESSURREIÇÃO Apesar de críticos clamarem que Krishna desceu para a sepultura por três dias e apareceu a muitas testemunhas, nenhuma evidência disto existe. Pelo contrário, o verdadeiro relato diz que Krishna imediatamente retornou à vida e falou somente ao caçador, perdoando-o por suas ações: "Ele [o caçador] tocou os pés de [Krishna]. O Superior-Espírito o confortou e então ascendeu para o alto, enchendo o céu inteiro com esplendor... [Krishna] alcançou sua própria região inconcebível." Mahabharata, Book 16, 419 Algumas óbvias diferenças entre as ressurreições de Jesus e Krishna são as seguintes:

  • A ressurreição de Jesus derrotou o poder do pecado e morte. A ressurreição de Krishna não teve nenhum efeito real na humanidade.
  • Jesus apareceu a aproximadamente 500 testemunhas no Novo Testamento. Krishna apareceu somente ao caçador.
  • Jesus levantou dos mortos três dias depois. Krishna imediatamente retornou à vida.
  • Jesus não ascendeu aos céus até depois da Grande Comissão. Krishna imediatamente "ascendeu" para a vida após a morte.
  • Jesus sabia o que haveria de acontecer. Krishna não teve nenhuma previsão a respeito de sua morte.
  • Jesus ascendeu a um reino físico (Céu). Krishna transcendeu para um estado mental (ou região inconcebível). Os conceitos entre Céu (Cristianismo) e Nirvana (Hinduísmo) diferem enormemente.

A ÚLTIMA CEIA É dito que Krishna celebrou uma última ceia mas duas razões oferecem evidência que isto nunca aconteceu:

  • Não há menção de Krishna tendo uma última ceia em qualquer dos textos hindus.
  • Porque Krishna não tinha nenhuma previsão de sua morte, não há nenhuma razão para que ele tivesse celebrado tal evento!

MOSTRADO COMO ESMAGANDO A CABEÇA DE UMA SERPENTE Gênesis 3:15 é uma profecia messiânica metafórica que se refere à batalha espiritual de Jesus com Satanás. Apesar de críticos clamarem que Krishna também foi referido como a semente da mulher esmagando a cabeça da serpente, esta frase nunca é usada com referência a Krishna. A única coisa que acontece é uma literal batalha que Krishna encontrou com serpentes reais. Mahabharata, Bk 7, LXXXI20 e Mahabharata Book 8, XC21

POSSÍVEIS REFERÊNCIAS EM GERAL

  • Krishna era a encarnação humana de Vishnu. Isto parece de certa forma acurado, mas a real tríade Hindu consiste de Vishnu, Shiva e Brahma. Não Vishnu, Krishna e uma deidade espiritual.
  • Krishna era de origem real. (Enquanto Krishna nasceu direto da corte nobre de Mathura, Jesus era da linhagem real davídica mas nasceu em pobreza como filho de Maria e José.)
  • Krishna era visto como um Salvador. (Enquanto Jesus era um eterno-espiritual salvador que salvou Seu povo da perdição, Krishna era um salvador guerreiro-terreno que libertou seu povo do reinado tirânico de Kamsa).
  • Krishna frequentemente jejuava no deserto. A única possível referência que pude encontrar a tal coisa era que ele sempre saía à floresta para meditar.

REFERÊNCIAS ERRADAS EM GERAL

  • Krishna nasceu em uma caverna. De fato, nem Jesus ou Krishna nasceram em cavernas. Krishna nasceu em uma cela de prisão e a única referência de Jesus nascendo em uma caverna é em escritos não-canônicos.
  • Krishna viveu uma vida sem pecados. Enquanto que a Bíblia deixa claro que Jesus não cometeu nenhum pecado durante Sua vida, os textos hindus admitem a promiscuidade de Krishna e seus numerosos casos sexuais.
  • Krishna nasceu em 25 de Dezembro. Na verdade, a celebração do aniversário de Krishna, conhecido como o Krishna Janmaashtami22, é celebrado no mês hindu de Bhadrapadha que corresponde ao mês de Agosto. Além disto, é improvável que Jesus tenha nascido nesta data. O Natal é somente celebrado nesta data por causa da tradição.
  • Krishna moveu uma pequena montanha para proteger uma vila de um desastre. Jesus declarou que se você tiver fé como um grão de mostarda você poderia dizer para a montanha se levantar e se jogar no oceano. Além da declaração de mover montanhas, qualquer um pode ver que estas duas declarações não possuem nada em comum. Um descreve um feito físico enquanto que o outro usa o mover de uma montanha como uma metáfora para o poder da fé.

CONCLUSÃO Os textos hindus foram admitidamente alterados e adicionados com o passar dos séculos. Muitas comparações dos novos e velhos textos a respeito da história de Krishna revelam muitos contos sendo adicionados em textos anteriores conhecidos como as Puranas (400-1000 D.C.), Bhagavata (400-1000 D.C.), e a Harivamsa, (100-1000 D.C.). Estes textos foram provados por estudiosos terem sido escritos depois da vida de Jesus.

Exclamação cética: De acordo com a tradição Hindu, se acredita que a Bhagavata Purana foi escrita por Vyasa cerca de 3100 A.C. Ela menciona o Rio Védico Sarasvati cerca de 30 vezes que se acredita ter secado por volta de 2000 A.C.

Resposta: Isto é frequentemente citado como argumento para uma data anterior da Bhagavata. Contudo não se mantém por várias razões. O fato da Bhagavata Purana mencionar o não existente Rio Védico Sarasvati não é prova maior de autoria anterior que se eu fosse escrever um romance centrado nos Jardins Suspensos da Babilônia. A menção de um rio antigo prova nada mais que o conhecimento de sua existência histórica. Também não há nenhum registro de qualquer destes textos existindo antes do primeiro século D.C. Mesmo quando os mais antigos textos Hindus estavam em circulação, os livros contendo vários detalhes da vida de Krishna não estavam incluídos. Finalmente, a linguagem e gramática da Bhagavata Purana não é consistente com as mais antigas linguagens da Índia.

Gautama (o Buda)

Se acredita que Gautama23 viveu entre 563 - 483 A.C. Gautama nasceu em uma classe guerreira sob o sistema de castas da Índia e posteriormente atingiu a iluminação para se tornar o Buda (ou O Iluminado) e fundador do Budismo. Como Zoroastro (abaixo), muito pouco foi escrito sobre ele durante seu tempo de vida, com relatos se tornando mais incríveis com o passar do tempo.

NASCIMENTO VIRGINAL Gautama nasceu de Suddhodana24 e sua esposa havia vinte anos, Maya25. Apesar de críticos clamarem que Maya era uma virgem, nós devemos assumir que ela não era já que ela era a esposa favorita do rei. Também, Os Atos do Buda26 confirmam que Maya e Suddhodana tinham relações sexuais (os dois provaram os deleites do amor...), apesar de que sinto que é justo apontar que a maioria das traduções Inglesas não contém esta declaração. Um detalhado registro do nascimento de Gautama pode ser encontrado aqui27. Apesar de Maya ser retratada como sendo virtuosa e de mente pura, o conceito de virginal não é nunca mencionado a respeito do nascimento de Buda. No máximo, foi uma transferência de útero como na história de Krishna:

O mais excelente de todos os Bodhisattvas caiu diretamente de seu lugar entre os residentes do céu de Tushita, e movendo-se rapidamente através dos três mundos, repentinamente tomou a forma de um grande elefante de seis presas tão branco como o Himalaia, e entrou no útero de Maya. Buddha Karita 1:1828

Exclamação Cética: A semelhança entre os nomes Maya e Maria possui algum significado?

Resposta: Apesar de similares em suas traduções, sua forma original e traduções são completamente diferentes. Maya, do Sânscrito, significa Ilusão, enquanto que Maria (Maryam) é traduzido do hebreu como Amargo.

SÁBIOS Não pude achar menção de sábios em qualquer texto Budista mas eu achei o seguinte em escritos pós-cristãos:

Versão 1: Um ascético29 (não sábio) visita o rei para repetir a informação que ele recebeu dos deuses que seu filho se tornaria um grande líder religioso. Depois de ouvir isto, Brâmanes30 (não sábios) decidiram dedicar seus filhos dependendo do resultado da profecia.

"Um filho tem nascido na família de Suddhodana o rei. Trinta e cinco anos a partir de agora ele se tornará um Buda... Se o jovem príncipe se tornará um Buda ou um rei, nós daremos cara um um filho: assim se ele se tornar um Buda, ele será seguido e cercado por monges da casta guerreira; e se se tornar um rei, por nobres da casta guerreira." Jataka I:55,5731

Versão 2: No nascimento de Gautama, um vidente (não um sábio) diz a Suddhodana que Gautama se tornará um grande líder religioso:

"O grande vidente veio ao palácio do rei. 'Seu filho tem nascido para o bem do supremo conhecimento. Tendo abandonado seu reino, indiferente a todos objetos mundanos, ele irá brilhar como um sol de conhecimento para destruir a escuridão no mundo.'" Buddha-Karita 1:54,62,7432

PRESENTEADO COM OURO, INCENSO E MIRRA Novamente, não encontrei nenhuma menção a tal ocorrência exceto por uma forçada correlação em uma escritura pós-cristã. Somos informados que os deuses (não sábios) presentearam Gautama sândalo, chuva, lírios aquáticos e flores de lótus (Símbolos budistas). Isto não seria surpresa já que nascimentos reais eram frequentemente celebrados com festivais e presentes!

"Assim que ele nasceu O De Mil-Olhos o tomou gentilmente, brilhante como um pilar de ouro. Duas puras correntes de água caíram do céu sobre sua cabeça com pilhas de flores de Mandara. Os senhores-yaksha ficaram ao seu redor, o guardando com lótus de ouro em suas mãos. Os grandes dragões fitaram com olhos de concentrada devoção, e o abanou e espalharam flores Mandara sobre ele. E de um céu sem nuvens caiu uma chuva cheia de lótus e lírios aquáticos, e perfumadas com sândalos." Buddha Karita 1:27,36,38,4033

GUIADOS POR UMA ESTRELA Não há menção de um sinal celestial mas eu achei similaridades forçadas em textos pós-cristãos:

Versão 1: Os Brâmanes procuravam por sinais do Buda34 em Gautama para determinar se ele seria um rei ou líder religioso. Os sinais não implicavam em presságios celestiais mas marcas físicas que um Buda deveria ter:

"Eles pediram [os Brâmanes] para observar as marcas e características da futura pessoa do Buda, e para profetizar sua fortuna. Se um homem possuindo tais marcas e características continuar na vida do chefe de família, ele se tornará um Monarca Universal. Se ele se retirar do mundo, ele se torna um Buda." Jataka 1:5635

Versão 2: Apesar dos deuses enviaram sinais miraculosos através da natureza, nunca se diz que o aparecimento de uma estrela guiou o profeta. Contudo, somos informados precisamente que sinais são:

"Duas correntes de água jorrando do céu, iluminada como os raios de lua, tendo o poder do calor e do frio, caindo sobre a benigna cabeça daquele inigualável para dar refresco a seu corpo... Os deuses mantiveram um guarda-chuvas branco no céu e murmurou as mais altas bênçãos em sua suprema sabedoria... Então tendo conhecido por sinais e através do poder de suas penitências este nascimento daquele que destruirá todos os nascimentos, o grande vidente Asita veio ao palácio do rei. Assim o grande vidente olhou o filho do rei maravilhado, seu pé marcado com uma roda, seus dedos das mãos e dos pés palmados, com um círculo de cabelo entre suas sobrancelhas e sinais de vigor como um elefante." Buddha Karita 1:35,37,546536

25 DE DEZEMBRO O nascimento de Gautama é na verdade celebrado na primavera no mês de Vesak37 por seus seguidores (apesar de já termos mostrado que esta data é insignificante para Jesus).

TENTATIVA DE MATÁ-LO POR UM REI MAU Não há menção de um atentado contra a vida de Gautama. A única coisa que somos informados é que seu pai real tentou persuadi-lo de se afastar de uma vida de servidão religiosa por seduzi-lo com privilégios reais. Quando o profeta disse ao rei que seu filho veria quatro sinais o guiando para sua chamada religiosa, o rei ordenou os guardas a cercá-lo para prevenir tal evento.38

"Então disse o rei, 'O que deve ver meu filho, que o fará se retirar do mundo?' 'Os quatro sinais.' 'Que quatro?' 'Um decrépito homem velho, um homem doente, um homem morto e um monge.' 'Deste dia em diante,' disse o rei, 'tais pessoas não são permitidas a se aproximar de meu filho. Eu nunca deixarei meu filho se tornar um Buda. O que eu quero ver é meu filho exercendo seu soberano governo e autoridade...' E quando ele falou assim, ele colocou guardas em uma distância de um quarto de légua em cada uma das quatro direções, para que nenhum destes quatro tipos de homens possam ficar às vistas de seu filho." Jataka 1:5739

LINHAGEM REAL Como Krishna, Gautama era um descendente real imediato nascido em privilégios. Jesus era um distante descendente do Rei Davi nascido em pobreza.

IDADES MARCANTES Ao contrário de Jesus que ensinava no tempo com a idade de 12, começou seu ministério com 30 e morreu aos 33, as idades marcantes de Gautama diferem das que os críticos clamam. Ele terminou sua educação aos 15, casou-se aos 16, se tornou um monge aos 29, alcançou a iluminação aos 35, e morreu aos 80.40

CRUCIFICAÇÃO Apesar de críticos clamarem alguns relatos vagos mencionando Gautama ser crucificado, eu não posso achar menção disto em nenhuma fonte Budista. De fato, somos informados que Gautama morreu de causas naturais na idade de 80. Seus seguidores o acompanharam a um rio e o proveram com uma cama.

"'Sejam tão bons de me estender uma cama... Estou cansado e desejo deitar-me...' Então o [Buda] caiu em uma profunda meditação, e tendo passado pelas quatro jhanas, entrou no Nirvana."41

RESSURREIÇÃO E ASCENÇÃO Depois de sua morte, o corpo de Gautama foi cremado.42

"E eles queimaram os restos do Abençoado assim como fariam com o corpo de um rei dos reis."43

Se diz que Gautama transcendeu todos os níveis de meditação em seu leito de morte antes de atingir o Nirvana. Mas de acordo com o Budismo, Nirvana não é um lugar físico, mas um estado mental. Como mencionamos em Krishna, o conceito de Buda transcendendo até o Nirvana difere grandemente do Céu cristão.

SIMILARIDADES ERRÔNEAS CLAMADAS POR CRÍTICOS:

  • Ele alimentou uma multidão com uma cesta de bolos. Não há menção disto em qualquer texto budista.
  • Transfiguração no Monte. Apesar de Gautama ter atingido iluminação espiritual, ele não experimentou uma transfiguração física. Nem isto aconteceu em um monte - Buda obteve sua iluminação debaixo de uma árvore Bodhi44.
  • Esmagando a cabeça de uma serpente. Como Krishna, Buda nunca foi referido com este título mas um conto vem à tona em um texto posterior que menciona ele literalmente assassinando uma serpente. Mas como declarado, isto era um título metafórico de Jesus.
  • Votos de pobreza. Apesar de alguns cristãos poderem ter tomado votos de pobreza, isto nunca foi dito de Jesus. Ele apenas avisou como o amor a possessões terrenas poderia mudar nosso foco para longe das coisas celestiais. Mateus 6:19-24.
  • Títulos similares: Bom Pastor, Carpinteiro, Alfa e Ômega, Que leva os Pecados, Deus de deuses, Mestre, Luz do Mundo, Redentor, Eterno a Eterno, etc. Mas Gautama nunca clamou ser uma deidade, fazendo estes títulos obviamente falsos. Os únicos títulos que ele compartilhava com Jesus que eu pude encontrar em textos budistas eram Senhor, Mestre e Santo.

EM CONCLUSÃO Por que o Budismo compartilha muitos conceitos com o Hinduísmo (e originou-se na aproximada vizinhança), há na verdade mais similaridades entre as histórias de Buda e Krishna que Buda e Jesus.

Hórus

De acordo com a mitologia egípcia, originalmente se cria que Hórus45 era filho de Ra46 e Hathor47 e o marido/irmão de Ísis48. Depois ele foi visto como o filho de Osíris49 e Ísis assim que Hathor e Ísis foram unidas em um ser. Hórus era considerado o deus do céu, sol, e lua representado por um homem com uma cabeça de falcão.

NASCIMENTO VIRGINAL Há dois relatos de nascimento relacionados a Hórus (nenhum mostra um nascimento virginal):

Versão 1: Hathor, a personificação materna da Via Láctea, se diz que concebeu Hórus mas somos informados que seu esposo, Ra, era um deus do sol egípcio. Hathor (uma deusa do céu) era representada pela vaca cujo leite produziu a Via Láctea. Pela vontade se seu esposo Ra, ela deu a luz a Hórus:

"Eu, Hathor de Tebas, senhora das deusas, concedi a ele um nascimento na presença [do deus]... Hathor de Tebas, que se encarnou na forma de uma vaca e uma mulher." Fonte50 e Fonte51

Versão 2: Quando examinamos Ísis como a mãe de Hórus, somos informados que Ísis não era uma virgem, mas a viúva de Osíris. Ísis praticou magia para ressuscitar Osíris dos mortos assim ela poderia dar a luz a um filho que pudesse vingar sua morte. Ísis então se engravidou do esperma de seu marido morto. Novamente, nenhum nascimento virginal ocorreu:

"[Ísis] fez lenvantar-se o impotente membro [pênis] daquele cujo coração descansava, ela extraiu dele sua essência [esperma], e ela fez deste um herdeiro [Hórus]." Fonte52 e Fonte53

A UNIDADE DO PAI E O FILHO Críticos sugerem que a Trindade cristã foi adaptada da noção de Osíris, Ra e Hórus sendo um deus em essência. Por Hórus ter nascido depois da morte de Osíris, chegou-se a acreditar que ele era a ressurreição, ou reencarnação de Osíris:

"Ele te vingou em seu nome de Hórus, o filho que vingou seu pai."54

Através dos séculos, os egípcios eventualmente consideraram Osíris e Hórus como um e o mesmo. Contudo, esta comparação de filho-como-pai parece mais próxima a metamorfose de Hathor em Ísis do que da Trindade cristã. Nós vemos Hórus primeiro como o filho de Ra, então sendo o equivalente de Ra, então Ra finalmente se tornando apenas um aspecto de Hórus. Igualmente a Hathor e Ísis, nós simplesmente vemos uma fusão de um ser em outro. Na mitologia egípcia, cada deus tinha um distinto começo por ser concebido por outros deuses. Na teologia cristã, Deus e Jesus sempre existiram como um e o mesmo, não tendo nem princípio nem fim. O nascimento de Jesus não representa Sua criação - somente Seu advento na forma humana. Além do mais, o conceito de pai-filho não foi criado por cristãos do primeiro século. Profecias no Velho Testamento referiam ao futuro Messias como o Filho de Deus, até 1000 anos antes do nascimento de Cristo. 1 Crônicas 17:13-14

CRUCIFICAÇÃO E RESSURREIÇÃO Nunca se disse que Hórus foi crucificado, nem mesmo de ter morrido. A única conexão que nós podemos fazer de Hórus sendo ressuscitado é se nós considerarmos a eventual fusão de Hórus e Osíris. Mas tal teoria resulta em um beco sem saída, aparentemente notado pelos egípcios já que eles posteriormente alteraram suas crenças para arrumar as contradições. No conto egípcio, Osíris é ou desmembrado por Seth em uma batalha ou selado em uma arca e afogado no Nilo. Ísis então reúne o corpo de Osíris novamente e ressuscita Osíris para conceber um herdeiro que irá vingar a morte de Osíris (apesar de que tecnicamente Osíris nunca é de fato ressuscitado já que ele é proibido de retornar ao mundo dos vivos). Fonte55 e Fonte56

"[Set] trouxe uma bem formada e decorada arca, que ele mandou fazer de acordo com as medidas do corpo do rei... Set proclamou que ele presentearia a arca àquele cujo corpo coubesse em suas proporções com exatidão... Então Osíris veio. Ele deitou dentro da arca, e a preencheu em cada parte. Mas afetuosamente foi seu triunfo ganho naquela hora negra que foi sua morte. Antes que ele pudesse levantar seu corpo, os malignos seguidores de Set pularam de repente para frente e fecharam a tampa, a qual eles pregaram rapidamente e soldaram com chumbo. Assim a ricamente decorada arca se tornou o caixão do bom rei Osíris, de quem partiu o fôlego de vida."57

NASCIDO EM 25 DE DEZEMBRO O nascimento de Hórus foi na verdade celebrado durante o mês de Khoiak58, (Outubro/Novembro). Apesar de alguns críticos clamarem que Hórus nasceu no solstício de inverno, isto mostra mais uma relação a outras religiões pagãs que consideravam os solstícios sagrados.

DOZE DISCÍPULOS Superficialmente esta similaridade parece exata até nós vermos que os "discípulos" de Hórus não eram discípulos exatamente - eles eram os doze signos do zodíaco que ficaram associados com Hórus, um deus do céu. Contudo os discípulos de Jesus eram homens reais que viveram e morreram, cujos escritos existem até hoje, e cujas vidas são gravadas por historiadores. Pelos "discípulos" de Hórus serem meramente signos do zodíaco, eles nunca ensinaram suas filosofias ou espalharam seus ensinos. O fato de que há doze signos do zodíaco (doze meses) comparado aos doze apóstolos de Jesus é uma coincidência insignificante.

ENCONTROS NAS MONTANHAS Críticos apontam a similaridade de tanto Jesus e Hórus tendo um encontro no topo de uma montanha com seus inimigos. Ao invés de dissecar isto pedaço por pedaço, eu simplesmente darei cada versão dos eventos e deixarei o leitor observar as diferenças (óbvias):

Jesus: Depois de Jesus completar Seu jejum no deserto, Satã tenta Jesus oferecendo a Ele todos os reinos do mundo se Jesus concordar em adorá-lo, mas Jesus recusa. Mateus 4:1-11

Hórus: Durante batalha, Hórus corta um dos testículos de Set enquanto Set arrancou os olhos de Hórus. Set depois tentou provar seu domínio iniciando um trato com Hórus. Hórus pegou o sêmen de Set em sua mão e o jogou em um rio próximo. Hórus posteriormente se masturbou e espalhou seu sêmen sobre as alfaces que Set consome. Tanto Set e Hórus compareceram diante dos deuses para proclamar seu direito de reinar o Egito. Quando Set clamou dominação sobre Hórus, seu sêmen foi encontrado no rio. Quando a dominação de Hórus foi considerada, seu sêmen foi encontrado dentro de Set, então Hórus conseguiu reinar o Egito:

"Ó, aquele castrado! Ó este homem! Ó aquele que incita ele que incita, entre vocês dois! Estes - esta primeira corporação da companhia do justificado... Nasceu antes do olho de Hórus ser arrancado, antes dos testículos de Set serem cortados."59 "É o dia em que Hórus lutou com Set, que jogou imoralidades na face de Hórus, e quando Hórus destruiu os poderes de Set."60 "Então [Set] apareceu diante do conselho divino e clamou o trono. Mas os deuses deram julgamento que Hórus era o rei por justiça, e ele estabeleceu seus poderes na terra do Egito, e se tornou um sábio e forte governante como seu pai Osíris."61

Exclamação cética: A similaridade entre os nomes Satã e Set possuem algum significado?

Resposta: Os variáveis nomes de Set incluem Seth, Sutekh, Setesh, e Seteh. A raiz Set é usualmente considerada ser traduzida por fascinador ou pilar estável. Os diferentes sufixos de seu nome adicionam o significado de majestoso, supremo e deserto. O nome Satã vem da raiz semítica Stn que representa oposição. Diante deste caso, o nome original de Satã era Lúcifer, ou anjo de luz. O termo Satã representa um adversário geral, daí sua identidade aceita. Apesar de ambos os nomes consistirem de um S e um T, seus significados não possuem nada em comum. A pronúncia é só um resultado das raízes originais das palavras que representam seus caracteres. Fonte62 e Fonte63

TÍTULOS SIMILARES Críticos alegam que Hórus mantinha títulos similares usados para identificar Jesus, tais como Messias, Salvador, Filho do Homem, Bom Pastor, o Caminho, a Verdade, a Luz e a Palavra Viva. Contudo eu não posso achar evidências destes nomes sendo usados em referência a Hórus. Eu tenho especial suspeita da palavra Messias, já que ela é de origem hebraica.

EM CONCLUSÃO Nós podemos ver que as diferenças entre Jesus e Hórus excedem em peso qualquer correlação superficial.

Zoroastro

Zoroastro64 era um profeta iraniano e fundador do Zoroastrismo. Apesar da datação de sua vida ser fervorosamente debatido, acredita-se que ele seja contemporâneo do Rei Hystaspes65, fazendo do sexto século A.C. a datação mais provável. Evidência é mostrada através da Avesta66 que menciona conversas pessoais entre os dois. Um exemplo é como se segue:

"'Eu sou um homem piedoso, que fala palavras de bênçãos,' assim diste Zarathustra ao jovem rei Vishtaspa 'Ó jovem rei Vishtaspa! [Eu o abençôo]" Vishtasp Yasht, 167

NASCIMENTO VIRGINAL Não há menção de um nascimento virginal em qualquer texto Zoroastriano nem os eventos do nascimento de Zoroastro parecem ter qualquer relação com Jesus. O verdadeiro registro a respeito de seu nascimento são dados abaixo:

Versão 1: Os pais de Zoroastro (Dukdaub e Pourushasp) eram um casal casado normal que conceberam um filho por meios naturais. Zoroastro é descrito como rindo quando nasceu, ao mesmo tempo tendo uma visível e brilhante aura ao seu redor:

"[Zoroastro] veio para a posteridade...que é Pourushasp, seu pai, e Dukdaub que é sua mãe. E também enquanto ele está nascendo e pela duração da vida, ele produziu radiância, luz e brilho do lugar de sua própria morada..." Denkard, Bk 5 2:1-2

Versão 2: Em um texto posterior, um embelezamento é adicionado pelos seguidores zoroastristas. Somos informados que Ahura Mazda68 (a principal divindade do Zoroastrismo) implanta a alma de Zoroastro na planta sagrada Haoma69 e através do leite da planta Zoroastro nasce.

TENTADO NO DESERTO Se diz também que Zoroastro é tentado por um espírito maligno a renunciar sua fé com a promessa de receber poder sobre as nações. Contudo, esta história é encontrada no Vendidad70, o texto zoroastrista que lista as leis a respeito de demônios, escritas algum tempo entre 250 a 650 D.C. (séculos depois da vida de Jesus):

"Novamente para ele diz o Criador do mundo maligno, Angra Mainyu: 'Não destrua minhas criaturas, Ó santo Zarathushtra... Renuncie a boa Religião dos adoradores de Mazda, e você ganhará um beneficio de... o governante das nações.'" Vendidad Fargad 19:671

SEMENTE DA MULHER O Velho Testamento cristão se refere ao salvador da humanidade nascendo de uma mulher. Críticos clamam que este conceito foi roubado de Zoroastro cujo nome significa semente da mulher. Aparentemente ninguém investigou este clamor porque o nome é um antigo composto iraniano de zareta (velho, fraco) e ustra (camelo). Seu nome persa original Zarathushtra (Zoroastro é a tradução Grega/Portuguesa) literalmente é traduzida como dono dos fracos camelos. Fonte72 e Fonte73. Também se alega que Zoroastro era chamado de A Palavra Feita Carne e A Palavra Viva, mas não existem tais referências.

MINISTÉRIO COMEÇOU AOS 30 Como Jesus, acredita-se que Zoroastro iniciou seus ensinamentos na idade de 30. Apesar de Zoroastro tecnicamente sair para isolamento na idade de 30 para iniciar seus ensinos, ele foi afastado e ignorado por 12 anos até sua religião ser aceita pelo Rei Vishtaspa. Jesus, pelo contrário, atraiu seguidores instantaneamente. Acredita-se que Zoroastro foi morto por volta da idade de 77 enquanto Jesus foi morto por volta de 33. Além do mais este fato sobre Zoroastro não é mencionado até textos tardios datados por volta de 225 D.C. (quase 200 anos depois que o Cristianismo já estava em circulação).

EUCARISTIA Apesar de críticos clamarem que o conceito de comunhão com pão e vinho originou-se com Zoroastro, não existe tais celebrações. Apesar dos sacerdotes aceitarem sacrifícios de carne, flores, leite, pão, fruta e água sagrada, não havia comunhão simbólica feita pelos seguidores de Zoroastro além de beber o suco da sagrada planta Haoma (mas isto não mantinha o significado corpo-sangue da Eucaristia cristã). Fonte74

ENSINOS RELIGIOSOS Críticos apontam as similaridades entre o sistema básico de crença do Zoroastrismo e do Cristianismo. Superficialmente, há várias correlações entre os dois até que eles sejam examinados mais profundamente:

  • 1. Ambos ensinam uma batalha espiritual entre bem e mal. Verdade, mas isto é verdade para quase todas as religiões. O maior deus do Zoroastrismo é Ahura Mazda enquanto que o maior Deus da crença judaico-cristã é Yahweh. O arqui-inimigo do Zoroastrismo é Angra Mainyu enquanto que no Cristianismo o arqui-inimigo é conhecido como Satanás. O Zoroastrismo também ensina o dualismo das duas figuras enquanto que o Cristianismo ensina a subordinação de Satanás a Deus.
  • 2. Salvação. Zoroastrismo ensina que todos os homens serão julgados de acordo com suas obras no julgamento final. Cristianismo ensina que os homens serão julgados segundo sua aceitação de Cristo.
  • 3. Julgamento. Zoroastrismo ensina que todos os homensno finalserão salvos. Cristianismo ensina que o destino dos pecadores é eterno.
  • 4. Monoteísmo. Zoroastro originalmente ensinou o conceito de um deus, mas os sacerdotes zoroastristas, para fazer a religião mais atraente, depois adicionaram várias outras divindades.
  • 5. Ressurreição de todos os homens. Zoroastristas ensinam a eventual ressurreição de todos os homens no fim dos tempos. Cristianismo também ensina isto, mas isto para o julgamento de almas e o reinado dos justos no reino milenar.

ELE FOI MORTO PELOS PECADOS DA HUMANIDADE Se acredita que Zoroastro foi morto na idade de 77 depois de ser assassinado em um altar de seus templos por invasores turanianos (apesar disto ser debatido). Apesar disto, nunca se acreditou que sua morte expiou pecados ou manteve qualquer outro significado espiritual

EM CONCLUSÃO A maioria dos textos zoroastristas foram escritos séculos depois dos textos cristãos. Os relatos da vida de Zoroastro que existem antes do tempo de Jesus (os Gathas75) consistem principalmente de vagos escritos poéticos que dizem muito pouco sobre sua vida. Os atos incríveis associados a ele foram adicionados por sacerdotes zoroastristas desejando fazer da religião mais apelativa.

Mithras

mithras1mithras2mithras3mithras4mithras5mithras6

Mithras, não deve ser confundido com Mitra (um anjo guerreiro da antiga Pérsia), era a divindade maior do Mithraísmo76. Tentando juntar as atuais lendas relacionadas a Mithras é difícil já que as mais antigas evidências relacionadas a ele são encontradas somente em relevos artísticos - os textos originais a respeito do Mithraísmo há muito tempo se perderam, deixando para trás somente fragmentos. Para esta discussão, vamos nos focar no Mithraísmo romano já que é este Mithraísmo que os críticos clamam ser a inspiração para Jesus (apesar desta alegação poder ser facilmente ser erradicada mostrando que a maioria dos textos contendo as alegadas conexões são posteriores aos textos cristãos). Além do mais, o Mithraísmo romano surgiu séculos depois da existência das profecias messiânicas hebraicas.

Nota: A autoridade original no Mithraísmo era Franz Cumont que acreditou que o Mitra da antiga Pérsia e o Mithras do Mithraísmo era um e o mesmo. A maior parte de sua pesquisa foi compilada no século 19 e, por causa dele ser o primeiro estudioso conhecido a explorar a religião morta do Mithraísmo, sua pesquisa continuou indisputada por um bom tempo. Se você analisar as publicações até o começo do século 20, poderá ver que as descobertas de Cumont foram aceitas sem debate. Foi somente depois das investigações recentes de diferentes historiadores e arqueólogos que muitas das teorias de Cumont foram refutadas. Para ver o que digo, leia este artigo77 da Enciclopédia Britannica que é baseada nas teorias de Cumont em comparação com pesquisas mais modernas.

NASCIMENTO EM UMA CAVERNA Como dito anteriormente, não há menção de Jesus nascendo em uma caverna em lugar algum nas Escrituras canônicas. Quanto a Mithras, ele também não nasceu em uma caverna, mas de uma rocha sólida.

NASCIMENTO EM DEZEMBRO Muitos festivais religiosos são consolidados com em um feriado para coincidir com o solstício de inverno. O Natal é celebrado em 25 de dezembro por tradição. Este argumento já prova ser insignificante já que não há nada nas Escrituras que mencionam esta data.

ASSISTIDO POR PASTORES O mais antigo relato do nascimento de Mithras é encontrado em um relevo mostrando-o emergindo de uma rocha com a ajuda de homens que certamente pareciam ser pastores (o que é interessante considerando que se supunha que seu nascimento deveria preceder a criação dos humanos!). Mas este pequeno detalhe foi adicionado depois, aparentemente por aqueles que não notaram a contradição. Além do mais, este relevo78 é datado do quarto século D.C.!

NASCIMENTO VIRGINAL Não há menção de nascimento virginal no Mithraísmo. Os mais antigos relevos mostram um Mithras adulto emergindo de uma rocha (como mostrado nas três ilustrações ao lado).

DOZE DISCÍPULOS Mithras não teve doze discípulos, mas eu posso relacionar uma similaridade forçada a esta alegação. Em dois dos relevos ao lado, Mithras é cercado por doze signos do zodíaco. Clamando que Mithras teve doze discípulos porque há doze signos do zodíaco é a conexão que críticos tentam fazer. Os críticos simplesmente vêem doze seres e clamam que as figuras eram discípulos. Alguns vão tão longe a ponto de defender sua posição por imitar a teoria de Franz Cumont, clamando que as figuras eram na verdade os doze discípulos de Mithras vestidos com fantasias de zodíaco! Como eles fazem estas conexões é desconhecido já que não há inscrições acompanhando os relevos originais.

GRANDE PROFESSOR Eu não posso achar nenhuma menção em qualquer texto ou relevo mostrando Mithras sendo um mestre viajante. Apesar disto, isto pareceria dificilmente significante já que muitas lendas falam da humanidade recebendo sabedoria de seus deuses.

REMISSÃO DE PECADOS O clamor a respeito de Mithras remindo pecados me faz perguntar, como? Não há menção a isto em qualquer registro. Mithras sacrifica um touro sagrado para criar vida mas eu vejo nenhuma referência à remissão de pecados, a remissão de pecados através do sangue, ou Mithras remindo pecados. Alguns tentam fundir o touro com Mithras em um ser mas este conceito é rejeitado unanimemente pelos estudiosos de Mithras.

ÚLTIMA CEIA Há dois relevos que mostram Mithras celebrando um banquete. O primeiro relevo mostra Mithras e Hélios jantando juntos depois do sacrifício do touro. O outro mostra Mithras jantando com o sol antes de ascender ao paraíso com os outros deuses. Mas por alguma razão o conto se torna distorcido com Mithras dizendo a seus (imaginários) discípulos, "Aquele que não comer meu corpo ou beber meu sangue de forma que ele possa ser um comigo e eu com ele, não será salvo." Ainda que esta citação foi adicionada séculos depois durante a idade média e nem mesmo é atribuída a Mithras!

CRUCIFICAÇÃO Apesar de críticos clamarem que Mithras foi crucificado, não há menção disto nos relevos ou textos. De fato, nenhuma morte é associada a Mithras, muito menos crucificação. Somos informados que ele completou sua missão terreste e então é levado ao paraíso em uma carruagem - vivo e bem.

DOMINGO COMO DIA SAGRADO Isto parece ser correto, pelo menos para o Mithraísmo romano. Mas considerando que quase toda religião usava Sábado ou Domingo como dia sagrado, havia uma chance de 50% deles acertarem o alvo - ou pelo menos uma chance de 1/7 para o número de dias em uma semana. Cristãos selecionaram o Domingo como seu dia sagrado somente porque era o dia da ressurreição de Cristo.

TÍTULOS SIMILARES Eu achei algumas similaridades mas os clamores que os críticos fazem parecem ser manipulados de suas formas originais - não havia pontos exatos na lista de nomes dos críticos. Eu também listei outros títulos que são frequentemente citados mas provados incorretos:

  • Salvador, Redentor, Messias. Mithras nunca é referido como qualquer um destes. Como poderia já que ele nunca serviu a este propósito? Messiah79 é também uma palavra hebraica que te faz imaginar qual seria a fonte para esta alegação.
  • Cordeiro de Deus, Bom Pastor. Céticos tentam usar a representação de Mithras segurando o touro sagrado sobre seus ombros como evidência mas isto é um absurdo já que o touro foi morto! Além do mais, o Velho Testamento referencia cordeiros e pastores muito antes do Mithraísmo ter surgido.
  • Filho de Deus. Eu tecnicamente não encontrei este mas eu darei uma palhinha se você considerar Mithras como o filho de Ahura Mazda.
  • O Caminho da Verdade e Luz, Luz do Mundo. Apesar dos nomes não serem exatamente iguais eu encontrei anjo guerreiro e luz, mas estes são associados com o Mithras iraniano - não o Mithras romano do Mithraísmo.
  • Leão. Novamente, não exatamente igual, mas eu encontrei uma associação ao leão celestial, referindo-se ao signo de Leão. Mas como a referência dos cordeiros, o Velho Testamento menciona o Leão de Judá muito tempo antes do Mithraísmo sequer existir.
  • A Palavra Viva. Mithras é algumas vezes chamado de logos que significa palavra, mas nunca como a palavra viva.
  • Mediador. Mithras era o mediador entre bem e mal enquanto que Jesus é o mediador entre Deus e homem.

COMPARAÇÕES TEOLÓGICAS Eu consolidei as similaridades que são padrão na maioria das religiões em uma seção. Na falta de um título melhor, nós chamaremos isto de nossa lista de declarando o óbvio:

  • 1. Mithraísmo tinha um forte senso de comunidade entre seus membros (somente homens eram permitidos como membros, por falar nisto)
  • 2. Mithraísmo ensinou a imortalidade da alma humana (da mesma forma o Judaísmo que precedeu o Mithraísmo)
  • 3. Mithraísmo punha ênfase em viver uma vida ética e moral (da mesma forma o Judaísmo que precedeu o Mithraísmo)
  • 4. Mithraísmo cria no conceito de bem versus mal (da mesma forma o Judaísmo que precedeu o Mithraísmo)
  • 5. Mithraísmo ensinou que toda a vida brotou de deus(es) (da mesma forma o Judaísmo que precedeu o Mithraísmo)
  • 6. Mithras fez vários atos miraculosos
  • 7. Mithraísmo ensinou a destruição finalda terra

SIMILARIDADES ERRÔNEAS As seguintes similaridades gerais não existem nem nos antigos relevos de Mithras ou em qualquer versão dos textos sobreviventes:

  • 1. Mithras iniciou seu ministério à idade de 30 anos (nenhuma referência a qualquer idade é mencionada).
  • 2. Mithras foi enterrado em uma tumba (Vivo, eu suponho?). A única referência que eu pude achar para isto era que todo ano durante o solstício de inverno, ele era supostamente renascido de uma rocha (mas esta lenda foi adicionada depois).
  • 3. Uma Santa Trindade (Mesmo com toda sorte de novos deuses se tornando associados com o Mithraísmo com o passar do tempo, não pude achar menção de quaisquer deuses formando uma específica trindade).

CONCLUSÃO Mais uma vez, as alegadas similaridades não ou superficiais, completamente fabricadas ou forçadas para fazer uma igualdade.

Attis

Attis80 foi adorado como deidade onde conhecemos hoje como a moderna Turquia, com seu culto depois espalhando através do Império Romano. A maioria das alegadas similaridades entre Attis e Jesus parecer ser ou manipulada ou completamente fabricada. Depois de ler esta seção, tenho certeza que você irá concordar que as alegações Jesus-Attis são as mais absurdas de todas.

25 DE DEZEMBRO Nós já mostramos a insignificância deste argumento em relação ao Cristianismo. Além do mais, não há menção desta data tendo qualquer relação com Attis - ele é associado com o retorno anual da primavera.

NASCIMENTO VIRGINAL De acordo com a lenda, Agdistis81, um monstro hermafrodita, levantou-se da terra como um descendente de Zeus82. Agdistis gera o rio Sangarius83 que revelou a ninfa, Nana84, que ou traz uma amêndoa em seu peito e se torna grávida pela amêndoa ou se senta debaixo de uma árvore onde uma amêndoa cai em seu colo e a engravida. Nana depois abandona a criança que é cuidada por uma cabra. Somos levados a assumir que Attis é concebido de uma semente de amêndoa que cai de uma árvore como resultado do sêmen derramado de Zeus.

CRUCIFICAÇÃO Esta similaridade é completamente falsa. Attis se castrou debaixo de um pinheiro depois de ser feito insano antes de seu casamento com Agdistis quando ele-ela se enamora dele. Seu sangue flui pelo chão através de seu órgãoferido e gera um trecho de violetas. Críticos tentam associar a morte de Attis debaixo de uma árvore com a morte de Jesus em uma "árvore". Eles também tentam conectar o sangue de Jesus saindo de suas feridas com o sangue de Attis causado por sua auto-castração.

RESSURREIÇÃO Em uma versão, Agdistis é tomado de remorso por suas ações e pede a Zeus que preserve o belo corpo de Attis de forma que ele nunca se decomponha. Nenhuma ressurreição ocorre para Attis. Em outro relato, Agdistis e a Grande Mãe85 (ou Cibele86) leva o pinheiro para uma caverna onde ambos se lamentam pela morte de Attis. A história de ressurreição não surge até muito tempo depois quando Attis é transformado em um pinheiro.

REMISSÃO DE PECADOS Críticos clamam que Attis foi morto para a salvação da humanidade mas não há evidência disto. Nós somos informados que Attis foi originalmente um espírito de árvore representando um deus da vegetação. Sua morte e transformação em um pinheiro representou a vida de uma planta que morre no inverno somente para florescer na primavera. A primeira menção de Attis em relação a ser um salvador não aparece até o sexto século D.C. - muito tarde para ser considerado uma inspiração para o Cristianismo.

ENTERRO EM UMA TUMBA A única referência a respeito de um enterro em uma tumba é quando Attis (como um pinheiro) é levado para a caverna da Grande Mãe. Mas a caverna é seu lar - não uma tumba.

UNIÃO PAI-FILHO Novamente, não existe tal relação. A única conecção forçada que podemos fazer é a crença que Attis era o neto de Zeus. Nós podemos concluir do que já sabemos de Attis que isto é uma adaptação. Nunca se acreditou que Zeus e Attis eram cridos ser um e o mesmo, muito menos em igual nível.

EUCARISTIA Críticos clamam que os seguidores de Attis celebravam o deus com uma comunhão de vinho e pão. A única menção de tal atividade é quando eles deveriam comer uma refeição santificada por tamborins e címbalos sagrados, apesar de que nunca é mencionado o que eles comiam. Críticos especulavam que era pão e vinho mas isto é improvável considerando que o vinho era restringido durante os festivais de Attis.

CONCLUSÃO As únicas coisas que nós realmente vemos continuando com o pobre Attis é uma grande quantidade de mutilação genital, ressurreições de pinheiros, e descendentes de rios dando a luz a partir de nozes... Nozes certamente vêm à mente em respeito a quem foram que colocam estas duas figuras juntas.

Dionísio (Baco)

Dionísio87 é mais conhecido como o deus patrono do vinho, apesar de ser considerado o patrono grego e romano de muitos títulos. Isto permite aos críticos fazerem a conecção ilógica entre Dionísio ser o deus do vinho e Jesus bebendo vinho.

NASCIMENTO EM 25 DE DEZEMBRO Não há registros desta data sendo significante para Dionísio. Como Attis, Dionísio é associado com o retorno anual da primavera.

NASCIMENTO VIRGINAL Há dois relatos de nascimento a respeito de Dionísio (nenhum implica em um nascimento virginal):

  • 1. Zeus engravida uma mulher mortal, Semele88, às custas dos ciúmes de Hera89. Hera convence Semele a pedir Zeus para revelar sua glória a ela mas por que nenhum mortal pode olhar para os deuses e viver, Semele é instantaneamente incinerada. Zeus então pega o feto Dionísio e o costura em sua própria coxa até seu nascimento. Fonte90
  • 2. Dionísio é o produto de Zeus e Perséfone91. Hera se torna insanamente ciumenta e tenta destruir a criança o enviando para os Titãs para matá-lo. Zeus vem salvá-lo mas é muito tarde - os Titãs comeram tudo, menos o coração de Dionísio. Zeus então pega o coração e o implanta no útero de Semele. Como podemos ver, nenhum nascimento virginal ocorre, mas é assim que Dionísio é conhecido como uma deidade do renascimento já que é nascido duas vezes do útero. Fonte92

MESTRE VIAJANTE É dito que Dionísio viajou para muito longe (enquanto que Jesus concentrou Seu ministério na Judéia) para ensinar aos homens "os segredos do vinho " (como fazer vinho) e para espalhar seus ritos religiosos. Nunca se creu que ele fosse um mestre espiritual como Jesus.

EUCARISTIA Para celebrar o renascimento de Dionísio depois de ser devorado pelos Titãs93, membros do culto tomariam ou uma vida humana ou animal, cortariam a vítima membro a membro, e comiam a carne crua. O sacrifício deveria ser comido em uma forma canibalística para que os seguidores pudessem pagar uma homenagem a seu deus. Contudo esta história se relaciona mais com os mitos a respeito de Tantalus que as comunhões cristãs.

ENTRADA TRIUNFANTE Críticos clamam que Dionísio é frequentemente mostrado como montado em uma mula em meio a pessoas balançando galhos de heras. Contudo, esta é somente uma descrição de sua regular comitiva que viajava com ele (não uma específica entrada pré-paixão). Estes indivíduos eram bacantes94 e sátiros95 que seguiriam Dionísio com galhos entrelaçados de hera e uvas - símbolos cúlticos representantes do deus do vinho. Jesus por outro lado teve uma específica triunfante entrada depois de entrar em Jerusalém enquanto a população humana balançava galhos de palmeiras (símbolos judaicos). Eu também achei uma profecia messiânica em Gênesis 49:11 (escrita aproximadamente em 1400 A.C. - bem antes de Dionísio) que prediz que Jesus (literalmente) amarraria seu jumento em uma vinha e (simbolicamente) lavaria suas roupas no vinho (uma referência a Sua morte). Não que eu esteja acusando os gregos/romanos de criar uma deidade baseada em uma simples passagem bíblica, mas se quisermos ser técnicos, a Bíblia agrupa estes três objetos muito antes de Dionísio ser um brilho nos olhos da mitologia.

ÁGUA EM VINHO Dionísio era o deus da mitologia que deu ao rei Midas o poder de transformar o que ele tocasse em ouro. Da mesma forma, ele deu às filhas do Rei Anius o poder de transformar o que for que elas tocassem em vinho, milho ou óleo. Considerando que Dionísio era o deus do vinho, isto não seria surpresa. No entanto, apesar de que há relatos onde Dionísio de forma sobrenatural preenche barris com vinho, o ato de transformar água em vinho nunca acontece.

RESSURREIÇÃO O relato de "ressurreição" de Dionísio se origina do conto dele renascer depois do ataque dos Titãs. Como podemos ver, isto não tem nada a ver com a história de ressurreição de Jesus. Além do mais, somos informados de que depois que Dionísio terminou de ensinar seus discípulos seus ritos religiosos, ele ascendeu ao Monte Olimpo para ficar com outras deidades - vivo e bem. Seu renascimento infantil, como Attis, é símbolo do ciclo da vegetação - não a remissão de pecados.

TÍTULOS SIMILARES A seguir há uma lista dos alegados títulos que se clama que Dionísio compartilhava com Jesus. Apesar de que no passado nós fomos capazes de mostrar algumas similaridades obscuras, esta é uma lista de óbvia fabricação:

  • Rei dos Reis. Dionísio era apenas uma semi-deidade. Zeus era o deus principal de acordo com a mitologia.
  • Único Filho. Zeus teve muitas relações com mulheres onde ele foi pai de vários outros filhos.
  • Alfa e Ômega. Dionísio tinha um distinto princípio para sua existência.
  • Cordeiro de Deus. Dionísio é associado com um touro, serpente, vinho e hera, mas nunca com um cordeiro.

Os títulos que eu encontrei para Dionísio são O Touro, O Atirador de Cabras, A Tocha, Dionísio do Monte, Comedor de Carne, Dionísio do Vinho e Salvador (apesar de que o termo salvador foi atribuído mais tarde a Dionísio por prometer prazer carnal na vida após a morte. A única pessoa que ele salvou do Hades foi sua mãe, Semele).

EM CONCLUSÃO É um absurdo considerar Dionísio como um inspirador para Jesus. Mesmo que os judeus tivessem noção das fábulas a respeito de Dionísio, é improvável que eles usassem este conhecimento para criar o caráter de seu Messiah.

Alegadas deidades crucificadas

Vamos agora examinar uma lista de alegadas deidades que céticos clamam ter sido também crucificadas. Novamente, estas acusações vem até nós de Kersey Graves em seu trabalho já provado errado, Os Dezesseis Salvadores Crucificados.

OSÍRIS: Como explicamos acima, se diz que Osíris morreu após ser enganado por Set. Ele foi preso em um baú e então jogado no Nilo. Também, junto com tudo que eu encontrei, a lenda de Osíris existiu muito tempo antes da crucificação ser inventada!

QUETZALCOATL: Esta alegação é de certa forma engraçada para mim já que Quetzalcoatl96 era um antigo deus da América do Sul. Como críticos clamam que ele foi uma inspiração para Cristo está além de minha compreensão, já que as Américas não tinham sido descobertas ainda! Além disto, nunca se diz que Quetzalcoatl foi crucificado. Uma lenda declara que ele se queimou vivo de remorso por dormir com uma princesa celibatária enquanto outra nos diz que ele foi consumido por fogo enviado por deuses.

KRISHNA: Novamente, nós já mostramos como se diz que Krishna morreu: Ele foi morto depois de acidentalmente ser atingido por uma flecha de um caçador, enquanto meditava.

TAMMUZ/DUMUZID: Tammuz97 supostamente foi morto por demônios enviados por Ishtar depois que ela o encontrou em seu trono. Novamente, os mitos a respeito de Tammuz parecem existir antes da prática da crucificação.

ALCESTIS: De acordo com a lenda, Alcestis98 concordou em morrer no lugar do marido depois que ele fez um acordo com os deuses. Quando o tempo chegou, Alcestis é descrita como estando na cama. Os deuses foram tocados por sua devoção, ficaram com pena dela, e a reuniram com seu marido.

ATTIS: Como já mostramos, se diz que Attis sangrou até a morte depois de ter se castrado.

ESUS/HESUS: A única coisa que pude achar a respeito de Esus99 (não deve ser confundido pela tradução Portuguesa Jesus) é que seus seguidores participavam de sacrifícios humanos por pendurar uma vítima de uma árvore (não uma crucificação) depois de estripá-lo. Não pude achar nenhuma menção de Esus (algumas vezes associado com os deuses Mercúrio e Marte) sofrendo a morte.

DIONÍSIO: O relato de morte que nós já discutimos em relação a Dionísio o mostra sendo comido vivo pelos Titãs durante sua infância.

INDRA: Em um relato, Indra100 é engolido vivo pela serpente, Vritra, que depois o cospe fora ao comando de outros deuses. Por que eventualmente ele é salvo, não há de fato nenhum relato de morte a respeito de Indra (muito menos de crucificação).

PROMETEUS: Prometeus101 foi punido por Zeus sendo acorrentado a uma montanha onde uma águia poderia vir e comer seu fígado diariamente. Posteriormente, Prometeus seria libertado de seu tormento por Hércules.

MITHRAS: Como já declarado neste artigo, nunca se disse que Mithras experimentou a morte mas foi carregado para o céu em uma carruagem, vivo e bem.

QUIRINO: Não pude achar menção de Quirino102 experimentando a morte. Mesmo quando associado com Rômulo103 não há relato de morte já que se diz que Rômulo foi levado ao céu ainda vivo. Para explicar este desaparecimento, muitos acusaram o senado de sua morte. Apesar disto, não se fala de nenhuma crucificação ocorrendo.

BEL: Frequentemente associado com Zeus, não pude achar nenhuma menção do babilônico Bel104 experimentando a morte.

BALI (MAHABALI): É dito que Bali105 foi forçado a descer (corporalmente) ao submundo depois de ser enganado por Vamana106, um avatar de Vishnu. Em alguns relatos, se diz que Bali foi solto e coroado rei. De qualquer forma, nenhuma crucificação acontece.

ORFEU: É dito que Orfeu107 foi morto pelos bacantes enlouquecidos de Dionísio depois de recusar adoração a qualquer deus exceto Apolo.

IAO & WITTOBA: Não pude achar informação sobre as mortes destas duas figuras em qualquer fonte original publicada então eu me contenho de comentar agora para prevenir rumores. Se algum de meus leitores puder me dar referência a reais textos religiosos ou de primeira mão contendo estas duas figuras, eu ficarei feliz de analisá-los. Até lá, eu evitarei postar links onlines até que eu possa verificar a informação.

Conclusão

Apesar de outros autores irem longe para investigar os clamores listados nesta discussão, minha missão era fornecer uma breve sinopse que poderia ajudar o leitor a distinguir entre fatos e ficção. Uma vez que o leitor chegue até as fontes reais eles irão imaginar como tais clamores sequer se originaram. Se algum dos críticos se preocuparam em buscar os fatos por si próprios antes de contribuir para a propaganda, eles seriam capazes de rejeitar tais clamores imediatamente.

Certas coincidências entre Jesus e outras figuras podem ser esperadas por absoluta probabilidade.

Como um exemplo moderno, vamos dar uma olhada em algumas coincidências entre Kennedy e Lincoln como tomadas daqui108:

  • Lincoln foi eleito para o congresso em 1846. Kennedy foi eleito para o congresso em 1946 (Enquanto Kennedy teve sucesso instantâneo na política legislativa e executiva, Lincoln sofreu muitas derrotas).
  • Lincoln foi eleito presidente em 1860. Kennedy foi eleito presidente em 1960. (Considerando que as eleições presidenciais são feitas a cada quatro anos, isto só é possível em uma a cada 20).
  • Os nomes Lincoln e Kennedy contém sete letras (Até que nós consideremos seus primeiros nomes que destrói este paralelo).
  • Ambos foram presidentes durante tempos de grandes mudanças nos direitos civis (Assim foram seus sucessores e vários outros presidentes).
  • Ambos presidentes foram mortos por uma bala de um assassino em uma sexta-feira (isto só tem uma chance em sete).
  • Ambos assassinos foram conhecidos por três nomes consistindo de 15 letras (Cada homem não foi sempre referido pelos três nomes. Isto surgiu principalmente depois que eles ganharam notoriedade seguindo os assassinatos).
  • Ambos assassinos foram mortos antes de seu julgamento (Ambos foram mortos quando capturados. Oswald foi morto dias depois de sua prisão).
  • Ambos homens foram sucedidos por homens com o sobrenome Johnson (Considerando a popularidade do sobrenome Johnson entre homens brancos, não seria mais que coincidência ao comparar dois mulçumanos que compartilham o nome Mohammed.)

Estas coincidências podem parecer assustadoras a princípio mas realmente não são tão impressionantes assim que dissecadas. Mas em 2000 anos, será que as civilizações futuras vão olhar para trás nos "antigos americanos" e acusar Kennedy de ser uma ficção de nossas imaginações? Vai parecer que estávamos tão intrigados com Abraham Lincoln que nós inventamos um personagem para espelhar um grande herói americano? A mente inteligente que está desejosa de pesquisar e procurar pela verdade por trás de tal propaganda poderá facilmente encontrá-la.

Traduzido do site: http://www.thedevineevidence.com/jesus_similarities.html

Notas

1. http://www.reference.com/browse/columbia/Krishna

2. http://www.pantheon.org/articles/v/vishnu.html

3. http://www.reference.com/browse/wiki/Kersey_Graves

4. http://www.spirithistory.com/kgraves.html

5. http://www.reference.com/browse/columbia/Krishna

6. http://dictionary.reference.com/search?q=Christ

7. http://www.reference.com/browse/columbia/Isaiah

8. http://www.pantheon.org/articles/d/devaki.html

9. http://www.pantheon.org/articles/v/vasudeva.html

10. http://www.sacred-texts.com/hin/m12/m12a047.htm

11. http://www.reference.com/browse/wiki/Kamsa

12. http://www.sacred-texts.com/hin/db/bk04ch22.htm

13. http://www.sacred-texts.com/hin/db/bk04ch01.htm

14. http://en.wikipedia.org/wiki/Krishnajanmabhoomi

15. http://www.reference.com/browse/columbia/Mathura

16. http://www.reference.com/browse/wiki/Nanda_%28mythology%29

17. http://www.sacred-texts.com/hin/db/bk08ch01.htm

18. http://www.sacred-texts.com/hin/m16/m16004.htm

19. http://www.sacred-texts.com/hin/m16/m16004.htm

20. http://www.sacred-texts.com/hin/m07/m07078.htm

21. http://www.sacred-texts.com/hin/m08/m08090.htm

22. http://www.reference.com/browse/wiki/Krishna_Janmaashtami

23. http://www.reference.com/browse/columbia/Buddha

24. http://www.reference.com/browse/wiki/Suddhodana

25. http://www.pantheon.org/articles/m/maya.html

26. http://www.upf.es/materials/huma/central/historia/xinamon/docums/budisdoc/carita.htm

27. http://www.sacred-texts.com/bud/sbe19/sbe1903.htm

28. http://www.sacred-texts.com/bud/sbe49/sbe4903.htm

29. http://dictionary.reference.com/search?q=ascetic

30. http://dictionary.reference.com/search?q=Brahmans

31. http://www.sacred-texts.com/bud/bits/bits005.htm

32. http://www.sacred-texts.com/bud/sbe49/sbe4903.htm

33. http://www.sacred-texts.com/bud/sbe49/sbe4903.htm

34. http://en.wikipedia.org/wiki/Buddha#32_Marks_of_the_Buddha

35. http://www.sacred-texts.com/bud/bits/bits005.htm

36. http://www.sacred-texts.com/bud/sbe49/sbe4903.htm

37. http://www.reference.com/browse/wiki/Vesak

38. http://en.wikipedia.org/wiki/Suddhodana

39. http://www.sacred-texts.com/bud/bits/bits005.htm

40. http://www.mahidol.ac.th/budsir/life_02.htm

41. http://www.sacred-texts.com/bud/btg/btg98.htm

42. http://www.mahidol.ac.th/budsir/life_10.htm

43. http://www.sacred-texts.com/bud/btg/btg98.htm

44. http://www.reference.com/browse/wiki/Bodhi_tree

45. http://www.pantheon.org/articles/h/horus.html

46. http://www.pantheon.org/articles/r/re.html

47. http://www.pantheon.org/articles/h/hathor.html

48. http://www.pantheon.org/articles/i/isis.html

49. http://www.pantheon.org/articles/o/osiris.html

50. http://www.sacred-texts.com/egy/tut/tut05.htm

51. http://www.pantheon.org/articles/h/hathor.html

52. http://www.sacred-texts.com/egy/leg/leg22.htm

53. http://www.pantheon.org/articles/i/isis.html

54. http://www.sacred-texts.com/egy/leg/leg08.htm

55. http://www.sacred-texts.com/egy/pyt/pyt54.htm

56. http://www.pantheon.org/articles/o/osiris.html

57. http://www.sacred-texts.com/egy/eml/eml05.htm

58. http://www.digitalegypt.ucl.ac.uk/ideology/khoiak.html

59. http://www.sacred-texts.com/egy/pyt/pyt37.htm

60. http://www.sacred-texts.com/egy/ebod/ebod18.htm

61. http://www.sacred-texts.com/egy/eml/eml05.htm

62. http://en.wikipedia.org/wiki/Set_%28mythology%29#Desert_god

63. http://en.wikipedia.org/wiki/Satan

64. http://www.bartleby.com/65/zo/Zoroaste.html

65. http://www.bartleby.com/65/hy/Hystaspe.html

66. http://www.reference.com/browse/wiki/Avesta

67. http://www.avesta.org/fragment/vytsbe.htm

68. http://www.pantheon.org/articles/a/ahura_mazda.html

69. http://www.pantheon.org/articles/h/haoma.html

70. http://en.wikipedia.org/wiki/Avesta_(Zoroastrianism)#Vendidad

71. http://www.avesta.org/vendidad/vd19sbe.htm#section1

72. http://www.avesta.org/znames.htm

73. http://www.cais-soas.com/CAIS/Religions/iranian/Zarathushtrian/zoroaster_name.htm

74. http://www.pantheon.org/articles/h/haoma.html

75. http://en.wikipedia.org/wiki/Gathas

76. http://www.reference.com/browse/wiki/Mithraism

77. http://83.1911encyclopedia.org/M/MI/MITHRAS.htm

78. http://images.search.yahoo.com/search/images/view?back=http%3A%2F%2Fimages.search.yahoo.com%2Fsearch%2Fimages%3Fp%3DMithras%2B%26ei%3DUTF-8%26x%3Dwrt&w=500&h=429&imgurl=harpy.uccs.edu%2Froman%2Fmithras2.jpg&rurl=http%3A%2F%2Fbubba.uccs.edu%2Froman%2Fhtml%2Freligion.html&size=49.2kB&name=mithras2.jpg&p=Mithras&type=jpeg&no=9&tt=3,654&ei=UTF-8

79. http://en.wikipedia.org/wiki/Messiah

80. http://www.reference.com/browse/columbia/Attis

81. http://www.pantheon.org/articles/a/agdistis.html

82. http://www.pantheon.org/articles/z/zeus.html

83. http://en.wikipedia.org/wiki/Sangarius

84. http://en.wikipedia.org/wiki/Nana_%28mythology%29

85. http://www.pantheon.org/articles/g/great_mother.html

86. http://www.pantheon.org/articles/c/cybele.html

87. http://www.pantheon.org/articles/d/dionysus.html

88. http://www.reference.com/browse/columbia/Semele

89. http://www.reference.com/browse/columbia/Hera

90. http://www.pantheon.org/articles/s/semele.html

91. http://www.pantheon.org/articles/p/persephone.html

92. http://www.pantheon.org/articles/d/dionysus.html

93. http://en.wikipedia.org/wiki/Titans

94. http://www.reference.com/browse/columbia/maenads

95. http://www.reference.com/browse/columbia/satyr

96. http://www.reference.com/browse/columbia/Quetzalc

97. http://www.reference.com/browse/columbia/Tammuz

98. http://www.reference.com/browse/columbia/Alcestis

99. http://www.reference.com/browse/wiki/Esus

100. http://www.pantheon.org/articles/i/indra.html

101. http://www.pantheon.org/articles/p/prometheus.html

102. http://www.pantheon.org/articles/q/quirinus.html

103. http://www.reference.com/browse/columbia/Romulus

104. http://www.pantheon.org/articles/b/bel.html

105. http://www.pantheon.org/articles/b/bali.html

106. http://www.pantheon.org/articles/v/vamana.html

107. http://www.pantheon.org/articles/o/orpheus.html

108. http://www.snopes.com/history/american/linckenn.htm

Ler 15067 vezes
Avalie este item
(3 votos)

Comentários   

+1 #7 Joao vitor 28-05-2017 16:04
Krishna nao é Jesus
Zoroastro nao é Jesus
Budda nao é Jesus
Porém todos eles tentaram ajudar seus povos com a palavra de Deus que tinham no coraçao Zoroastro vivia em um lugar onde se pregava o politeismo eles acreditavam em sentenas de Deuses e faziam sacrificios de animais e Zoroastro convenceu q havia um Deus apenas e que o unico sacrificio que devia ser feito era ser um homem honesto e dirigir seus atos e pensamentos para o bem
Krishna revelou no bagavad gita a doutrina do yoga que diz para nao buscar o fruto do trabalho pois a atençao direcionada a ele é a causa da frustraçao entao se apegue ao trabalho, nao nos reconhecermos com a nossa carne que diz para nos pecarmos e sim busca o dominio de nos mesmo o inabalar na tristeza e na alegria ver com os mesmos olhos o inimigo eo amigo a situaçao que convem e desconvem pois nossa natureza é eterna e nosso corpo passageiro como ropas entao nao podemos nos apegar a dor que nao nos cabe
E budda ajudou muitas pesssoas a libertarem do apego do material ea causa do sofrimento
Eu nao sou cristao
Nao sou budista
Nem hare krishna
Porem escuto todos que tem Deus no coraçao e muito deles sao esses citados aqui
Citar
0 #6 Gustavo 20-02-2017 02:48
Deixei para comentar isto nesta segunda parte da minha resposta, para separar as coisas...

Citação:
Se os comentários se perderam, é realmente uma pena. Mas melhor do que o site: http://logosapologetica.com/ onde o administrador foi confrontado por um leitor e infelizmente o dono do site deletou todos os comentários do seu debatedor, deixando só suas próprias respostas.
Bem, em primeiro lugar, não se perderam completamente, por que eu tenho backups de segurança do site antigo. Mas a plataforma que mantinha o site estava bem desatualizada, e eu tive que fazer a migração para esta nova plataforma manualmente. A migração dos textos já me tomou muito tempo (que atualmente não disponho, como pode ver pela minha demora em aprovar comentários), imagine a migração de todos os comentários!
Também não quis migrar apenas alguns, deixando outros de fora. Não seria justo. Optei por começar do zero.

Mas é claro, esta foi uma opção minha, como administrador deste site. Assim como também é opção minha publicar todos os comentários postados aqui, desde que não tenham SPAM ou ofensas. Muitos comentários que deixei para trás eram uma grande alegria para mim: comentários de debates que terminam em reconciliação, demonstração de cordialidade entre debatedores... Os comentários sobre Ísis mesmo eu gostava muito, pois foram feitos de forma cordial e traziam muitas informações dos dois lados.

Não posso com isto dizer o que os outros administradores de outros sites devem ou não fazer com o trabalho deles. Aliás, não tenho o interesse de discutir a política de publicação de outros sites, sejam eles cristãos, ateus, budistas, islâmicos, etc.
Ao meu ver, eles têm o trabalho de manter seus sites e muitas vezes pagam por isto (hospedagem, manutenção, etc.). Quem sou eu para dizer o que eles devem fazer com seu tempo/dinheiro? Quem sou eu para dizer o que eles devem escolher como conteúdo para seus sites?
Eu não sou uma espécie de "deus" para que, onde quer que eu comente, a pessoa se veja automaticamente obrigada a aprovar e publicar meu comentário. Sou uma pessoa que publica em um site de outra pessoa e que estará sujeita às normas dela para a postagem.
Talvez você veja a recusa em publicar opiniões contrárias como uma atitude anti-intelectual. Talvez seja, embora como eu disse, esteja no direito deles, já que eles escolhem o que fazer com o próprio dinheiro/tempo. Mas não posso deixar também de ver na atitude de pessoas que exigem que seus comentários sejam publicados um certo tom de egolatria, a deificação do próprio eu (um mal muito presente em nossos tempos).
Espero ter esclarecido meu posicionamento sobre este assunto.
Citar
0 #5 Gustavo 19-02-2017 16:06
Olá novamente, Carlos André.

Diante do seu comentário, tenho muito que comentar...
Citação:
Não sei como você chegou à porcentagem de "90%" como sendo pessoas "preguiçosas", digamos assim, que não "foram atrás" das fontes, quando muitos comentadores, como meu caso agora, eram pessoas que estudam profissionalmente o assunto.
Primeiro, não pretendia dar uma estatística precisa dos comentários do artigo, mas apenas ilustrar que a maioria age assim ao comentar aqui.
Segundo, por que não foram mesmo. Se tivessem, estariam comentando sobre o que a Bhagavata fala sobre Krishna, e não que a Wikipedia não é fonte confiável.
Só uma pessoa discutiu os originais, como você mesmo mencionou...

Citação:
Eu havia lido todos os comentários e um dos argumentadores fez extensas citações de obras especializadas em mitologia e textos antigos do Egito, por exemplo, que AO MEU VER (sei que você discorda) refutava completamente o artigo.
Como ele refuta completamente o artigo se discutimos apenas um item (referente a Ísis) do artigo todo?

Citação:
Não são fontes acadêmicas. Wikipédia qualquer pessoa escreve lá. Sacred-texts são livros desatualizados que estão em domínio público e o Pantheon faz um breve resumo sobre alguns mitos (aliás o proprietário responde gentilmente os e-mails e ele mesmo confessa não ser acadêmico e que apenas fez pequenos resumos sem bibliografia sobre mitos. Então, não dá para ler a história de Hórus ali, por exemplo, e achar que já sabemos sobre seu mito e que, portanto, não é similar às narrativas evangelísticas.)
Este foi o comentário que eu realmente fiquei sem entender.
Você diz que os comentários feitos na versão antiga do site ao seu ver refutam o artigo. Mas as fontes usadas pelo autor dos comentários envolvem por exemplo livros escritos por E. A. Budge, que são livros antigos disponíveis em domínio público no Archive.org (sim, eu fiz o download de todos os livros dele para ler assim que tiver tempo). Por que os argumentos dele te convencem, mesmo baseando-se em fontes desatualizadas? Por que você chama agora obras desatualizadas de "literatura especializada"?


Quero fazer um breve comentário também sobre a questão das fontes usadas neste artigo. Fico realmente sem entender como as pessoas não conseguem entender como o autor está usando suas fontes...

Você, por exemplo, diz que o texto não usa fontes acadêmicas. E então faz uma crítica aos sites Wikipedia, Sacred Texts e Pantheon, como se o artigo se baseasse na autoridade de tais sites (é quase um apelo à autoridade às avessas).
Mas o autor do texto, quando quer refutar a afirmação que na história de Krishna há um massacre de crianças, ele não cita Wikipédia, Sacred Texts ou Pantheon como sua fonte. Ele cita a Bhagavata, Bk 4, XXII:7!!!! Por conveniência, ele procurou na internet onde este texto está disponível e colocou como link. O texto está hospedado no Sacred Texts e você não acha o site muito confiável? Beleza, procure a Bhagavata, Bk 4, XXII:7 em um lugar que você confie.
Muitas vezes o autor dá um link assim apenas para contextualizar algo que ele discute adiante, e que não tem peso nenhum na argumentação do artigo... Como por exemplo ao discutir que Krishna é o oitavo avatar de Vishnu, sendo que o autor não se baseia nisto para formar seu argumento...

Então me espanta como várias pessoas vêm aqui criticar o artigo puramente pelo tipo de referências usadas (referências na internet, não as referências textuais oferecidas) sem ao menos verificar de que forma são usadas. Não vi uma vez alguém dizendo "A Bhagavata usada no Sacred Texts não está correta" ou "Aqui tem uma referência mais confiável à Bhagavata", que para mim seria uma crítica válida e que me faria rever o artigo.

Quero ainda fazer outro comentário, mas farei em outra parte para ficar mais claro.
Citar
+1 #4 Carlos André 04-02-2017 17:32
Obrigado pela resposta! Queria comentar apenas um trecho:

"90% dos comentários antigos do texto eram sobre pessoas que não se deram ao trabalho de verificar que as referências do texto são feitas aos textos religiosos de cada tradição aqui tratada. "

Sobre esta parte, me permita discordar. Eu sei que estou lidando com um cristão e sei que a causa que você abraça é eterna, imutável e uma axioma absoluto e não posso esperar resposta diferente. Nem pense que isso é uma tentativa de debate, pois meu interesse é acadêmico apenas e, na academia, textos dessa natureza não têm credibilidade (não no sentido de Jesus ser APENAS um mito. É consenso de que ele existiu como pessoa histórica, mas as histórias sobre ele são consideradas apenas lendas, misturadas com mitos. Isso é igualmente consenso em qualquer departamento de História Antiga). Sei igualmente que isso pouco importa para um devoto, e por este motivo um debate seria completamente infrutífero.

Eu havia lido todos os comentários e um dos argumentadores fez extensas citações de obras especializadas em mitologia e textos antigos do Egito, por exemplo, que AO MEU VER (sei que você discorda) refutava completamente o artigo.

Não é que uma citação é de internet e outra é de um livro que vai fazer diferença. Não sei como você chegou à porcentagem de "90%" como sendo pessoas "preguiçosas", digamos assim, que não "foram atrás" das fontes, quando muitos comentadores, como meu caso agora, eram pessoas que estudam profissionalmente o assunto.

A questão é que nenhuma das fontes usadas nesse artigo acima é autoridade reconhecida no campo da mitologia.

Wikipédia
Sacred-texts
Pantheon

Não são fontes acadêmicas. Wikipédia qualquer pessoa escreve lá. Sacred-texts são livros desatualizados que estão em domínio público e o Pantheon faz um breve resumo sobre alguns mitos (aliás o proprietário responde gentilmente os e-mails e ele mesmo confessa não ser acadêmico e que apenas fez pequenos resumos sem bibliografia sobre mitos. Então, não dá para ler a história de Hórus ali, por exemplo, e achar que já sabemos sobre seu mito e que, portanto, não é similar às narrativas evangelísticas.)

Com isso, quero dizer que qualquer pessoa na internet escreve o que quiser e isso vira uma "fonte", mas que isso não tem o mesmo peso que acadêmicos no campo da mitologia e história antiga que estudam de forma séria o sincretismo religioso e a história das religiões.

No artigo não há nenhum único texto acadêmico, pois eu já o havia lido em inglês e cliquei em todos os links. Não é citada nenhuma obra de erudição, apenas sites amadores (Mais uma vez, não é porque são sites, mas sites AMADORES, pessoas que não têm formação na área.).

Eu perguntei dos comentários porque estou terminando minha tese em História na USP e estou trabalhando sobre o mito do nascimento de Jesus e os comentários de um dos participantes estava sendo de muita valia para minha bibliografia.

Se os comentários se perderam, é realmente uma pena. Mas melhor do que o site: http://logosapologetica.com/ onde o administrador foi confrontado por um leitor e infelizmente o dono do site deletou todos os comentários do seu debatedor, deixando só suas próprias respostas.

Muito obrigado por responder!
Citar
0 #3 anacabrera 06-12-2016 21:12
Texto claro, didático e principalmente de lúcida serenidade, servindo para aclarar sem polemizar. Uma boa pesquisa deixando margem ao leitor para buscar por si mesmo. Grande abraço. Ana
Citar
0 #2 Gustavo 05-12-2016 01:41
Olá, Carlos.

Conforme avisado através do nosso site no Facebook, na atualização do site, não pudemos fazer a migração dos comentários, pois a versão antiga do site funcionava em uma versão muito antiga do Joomla. Os textos foram exportados, por exemplo, um a um, manualmente.
Sobre estes comentários refutarem a pesquisa (que não é nossa, mas uma tradução do inglês, conforme mencionado no final do texto), 90% dos comentários antigos do texto eram sobre pessoas que não se deram ao trabalho de verificar que as referências do texto são feitas aos textos religiosos de cada tradição aqui tratada. Eles acharam que o fato da pesquisa apontar um link na internet faz a referência ser duvidosa, quando o autor aponta uma REFERÊNCIA TEXTUAL e o link para FACILITAR achar o texto referido. Nada impedia de se procurar o texto em forma impressa, por exemplo.

Os outros comentários foram basicamente de uma pessoa que não discordou da pesquisa, mas estava discutindo a questão do mito comum na humanidade.

Abraços.
Citar
0 #1 Carlos André 17-10-2016 03:49
Onde estão os comentários da página que refutavam sua pesquisa?
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Itens relacionados (por marcador)

  • Então você acha que entende o argumento cosmológico?

    Em particular, eu acho que a vasta maioria dos filósofos que estudaram o argumento em qualquer profundidade – e novamente, isto inclui ateístas assim como teístas, apesar de não incluir a maioria dos filósofos fora da subdisciplina da filosofia da religião – concordariam com os pontos que eu estou para fazer, e com a maioria deles de qualquer forma. É claro, eu não quero dizer que eles todos deveriam concordar comigo que o argumento é ao fim do dia um argumento convincente. Eu só quero dizer que eles concordariam que a maioria dos não especialistas que comentam sobre ele não o entendem, e que as razões por que pessoas o rejeitam são normalmente superficiais e baseados em caricaturas do argumento.

  • O ateísmo soviético e a perseguição religiosa

    O objetivo deste texto é esclarecer por que o governo soviético perseguia religiosos. Seria o ateísmo ali uma questão periférica? Teria o socialismo adquirido um status de religião, como afirmam alguns ateus?

  • O Evangelho segundo Bart

    Para a maioria dos estudantes do Novo Testamento, um livro sobre crítica textual é uma real chatice. Os detalhes tediosos não são matéria para um bestseller. Mas desde a publicação em 1 de Novembro de 2005, Misquoting Jesus tem circulado mais e mais alto até o pico de vendas da Amazon.

Últimos artigos

Assuntos principais

Últimos comentários